Fixos e Fluxos – Ensaios sobre a urbanização Latino-Americana

“Se quiséssemos definir sucintamente as condições atuais da organização do espaço na Venezuela e, de modo geral, nos países do Terceiro Mundo, deveríamos dizer que eles são objeto de duas tendências simultâneas e paralelas, embora aparentemente opostas. De um lado, há a tendência segundo a qual os fatores fixos – capital constante fixo representado por objetos geográficos – se tornam dia a dia mais volumosos e concentrados no território. De outro, há a exacerbação de todos os fluxos: de pessoas, de capital e da mais-valia, de produtos e mercadorias, de mensagens e de ordens.” (p. 120)

“Eis por que se pode falar de um aumento dos fixos e dos fluxos no território. Sem dúvida, a produção moderna não está limitada à região central do país, embora esta detenha o essencial das atividades de produção e de relação. Pode-se, porém, falar de uma oposição das tendências à concentração e à dispersão. Ambas têm a mesma origem: o grande capital” (p. 124).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s