Involução metropolitana – A urbanização Brasileira

INVOLUÇÃO METROPOLITANA

“Por último, dir-se-ia que, dentro das cidades, sobretudo das grandes cidades, vai dar-se aquilo que Armstrong e McGee (1968) haviam prematuramente visualizado nos anos 1960. Esses dois geógrafos propunham a noção de “involução urbana”, com base no que era chamado de ruralização da cidade, isto é, a invasão de práxis rurais no meio urbano, em virtude de numerosas e brutais correntes migratórias provenientes do campo. Hoje, porém, talvez se possa falar em uma involução metropolitana, mas em outro sentido, uma vez que o grande número de pobres urbanos cria o caldo de cultura para que, nas cidades, sobretudo nas grandes cidades, vicejem formas econômicas menos modernas, dotadas de menor dinamismo e com menor peso na contabilidade estatística do crescimento econômico (Santos, 1988b)”

P.60

Textos referenciados:

Armstrong, W & McGee, T.G. 1968. “Revolutionary Change and the Third World City: A theory of Urban Involution”. Civilisations 18.

Santos, Milton. 1988b. “Réflexions sur le rôle de le Géographie dans la période technico-scientifique”. Cahiers de Géographie du Québec, 32/87, déc., pp.313-319

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s