Urbanização corporativa x Capitalismo Dependente – A urbanização brasileira

URBANIZAÇÃO CORPORATIVA X CAPITALISMO DEPENDENTE

Para Florestan Fernandes (1973, p.18), o período atual revela um padrão de dominação externa, que se dá “em conjunção com a expansão das grandes empresas corporativas nos países latino-americanos” empresas que “trouxeram à região um novo estilo de organização, de produção e de marketing, com novos padrões de planejamento, propaganda de massa, concorrência e controle interno das economias dependentes pelos interesses externos. Elas representam o capitalismo corporativo ou monopolista, e se apoderaram das posições de liderança – através de mecanismos financeiros, por associação com sócios locais, por corrupção, pressão ou outros meios – ocupadas anteriormente pelas empresas nativas e por seus ‘policy-makers’”.

A unificação, agora fortalecida, do território e do mercado responde pelo processo de concentração da economia, com a constituição de empresas oligopolistas que ampliam, cada vez mais, seu raio de ação e seu poder de mercado, integrando ainda mais esse mercado e o próprio território.”

P.112

Textos referenciados:

Fernandes, Florestan. 1973. Capitalismo dependente e classes sociais na América Latina. Rio de Janeiro, Zahar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s